O Centro Oncológico Mogi das Cruzes tem um setor específico para tratamento preventivo de queloides e cicatrizes hipertróficas, em ambos os casos pós-cirúrgicas.

Os tratamentos oferecidos são a betaterapia e a eletronterapia (profilaxia com feixe de elétrons).

Seja após uma cesárea, retirada de pintas, cirurgias plásticas em qualquer parte do corpo ou mesmo a retirada de um queloide que já se formou e quer-se evitar que ele se forme novamente, a irradiação pós-cirurgia é uma técnica eficaz na prevenção de queloides e cicatrizes hipertróficas.

A irradiação pode ser realizada com:
• Feixes de partícula beta(β) (a placa de betaterapia)
• Profilaxia com feixe de elétrons

Betaterapia

A Betaterapia é um procedimento utilizado há cerca de 40 anos e reconhecido cientificamente pela Sociedade Brasileira de Cirurgias Plástica e Dermatologia, que previne mais de 70% dos casos de formação da queloide e da cicatriz hipertrófica. Este tratamento utiliza a energia emitida por elétrons que previnem o aparecimento de queloide e da cicatrização hipertrófica. Com os mesmos princípios da Radioterapia, permite um resultado extremamente eficaz para tratamento de lesões superficiais de menos de 3 milímetros de profundidade.

Como funciona:

Os aplicadores βeta são constituídos de placas metálicas plana, quadrada de dimensões de 2x2cm² no qual o material radioativo estrôncio 90 (Sr90), emissor de partículas β, é depositado na sua superfície. O tratamento consiste do contato desta placa plana ao longo de toda a cicatriz e deve ser realizado até três dias após a cirurgia. Quanto antes se iniciar o tratamento, melhores serão os resultados.

Eletronterapia (Profilaxia com feixe de elétrons)

Os elétrons são feixes de radiação superficial, que também são utilizados para lesões benignas como, por exemplo, a prevenção de queloides. A penetração do feixe de elétrons é maior – a partir de 5 milímetros ou mais, a fim minimizar a falha (recidiva) do tratamento já que a placa permite a penetração em apenas 3 milímetros de tecido. Nosso acelerador linear possui 6 energias de elétrons, podendo-se escolher a profundidade de penetração que pode variar de 0,5cm até 4,0cm. Para este tipo de tratamento escolhe-se, no máximo 1 cm de penetração do feixe. Isso vai depender do diagnóstico do radioterapeuta. O feixe é delimitado por um bloco de metal que é posicionado acima do paciente. 

Quais as diferenças entre a Betaterapia e a Eletronterapia (profilaxia com feixe de elétrons)?

Existem algumas vantagens da irradiação de cicatrizes com elétrons, se comparada à placa de Betaterapia:

– Tempo de irradiação: a placa tem apenas 2 cm. Sendo uma cicatriz de 20cm, a placa terá que ser colocada , por exemplo, 10 vezes na paciente até varrer toda a cicatriz. Com o feixe de elétrons, confeccionamos a placa no formato da cicatriz e disparamos um feixe apenas para cada região.

– Para a terapia no acelerador linear podemos confeccionar o tamanho e formato necessário, acompanhando a excisão realizada pelo cirurgião.

– Penetração do feixe: a placa permite a penetração em apenas 2milímetros de tecido, já com os elétrons consegue-se uma penetração a partir de 5 milímetros ou mais, a fim minimizar a falha (recidiva) do tratamento.

Os tratamentos de Betaterapia e Eletronterapia  causam dor ou desconforto?

Ambos são  indolores e não oferecem riscos ao paciente. São totalmente seguros, uma vez que a penetração da radiação é limitada. Para ter um efeito mais eficaz, o procedimento deve ser iniciado no dia seguinte ao da cirurgia.

Quantas sessões são necessárias?

Geralmente são indicadas 6 a 10 sessões. A avaliação do tratamento e a delimitação da região a ser tratada são feitos por um radioterapeuta (médico com especialização em Radioterapia). 

Quanto tempo demora o tratamento?

O tempo da sessão vai depender do tamanho da cicatriz ou quantidade de cicatrizes. 

Devo temer pelo uso de radiação?

Não. O procedimento é totalmente seguro. A radiação emitida pela placa de estrôncio penetra apenas alguns milímetros da pele. Vale destacar que a Eletronterapia é um método seguro e a literatura não descreve efeitos deletérios se o procedimento for realizado em clínicas especializadas como  o Centro Oncológico Mogi das Cruzes.

Há contraindicação?

Não. A Betaterapia e a Eletronterapia são indicadas até mesmo para as crianças que passam por cirurgias corretivas, como no caso de queimaduras, por exemplo.