A queloide é a forma anormal da cicatrização da pele, causada pelo excesso de colágeno sobre a cicatriz. Pode surgir após lesões como: cortes, escoriações, cirurgias, tatuagens, piercing, acne, entre outros fatores.
Embora na maioria dos casos não traga prejuízos à saúde, é esteticamente indesejada por sua forma grosseira, rugosa e de cores avermelhada ou escura.
Portanto, é preciso tomar cuidado para prevenir-se contra as queloides. Existem técnicas simples e outras profissionais para prevenção.

Abaixo listamos algumas opções que você pode fazer em casa ou em clínicas especializadas:

1-      Cuidado com o sol

Quando pensamos em uma boa cicatrização da pele, seja em qualquer circunstância, a primeira regra é evitar a exposição ao sol. As cicatrizes quando expostas tendem a inchar e escurecer, sendo muito prejudicial para a regeneração da pele. Por isso, é extremamente importante utilizar o protetor solar e na fase de cicatrização evitar a exposição. Se for inevitável, protegê-las sempre com curativos.

2-      Aplicação de gel de silicone

Existem no mercado algumas opções de fitas adesivas que devem ser aplicadas diretamente sobre a cicatriz, auxiliando na melhora da aparência da área lesionada. O uso deve seguir as recomendações de cada fabricante, mas, em geral, precisa ser diário e contínuo. Este tipo de tratamento é indicado para casos mais simples de queloides.

3-      Betaterapia 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda a Betaterapia como um dos métodos mais eficazes para tratamento da queloide. A técnica consiste na utilização da energia emitida por elétrons e segue os mesmos princípios da radioterapia. O procedimento da Betataterapia é indolor e o indicado é que ele seja iniciado no dia seguinte após o aparecimento da ferida ou a realização da cirurgia. São recomendadas 10 sessões de Betaterapia, mas a frequência pode variar de acordo com cada caso, sempre com orientação do médico. É totalmente segura, uma vez que a penetração da radiação é limitada. A Betaterapia é responsável por diminuir a produção de colágeno e, com isso, a possibilidade de queloide.

4-      Injeção de corticoides 

A injeção de corticoide é uma tentativa de paralisar o crescimento ou minimizar o queloide. Às vezes, consegue a até a involução. Geralmente, pode ser reaplicada a cada um ou dois meses, e deve ser feita somente pelo médico ou cirurgião que está acompanhando.

5-      Remoção cirúrgica da queloide

Em casos mais extremos da queloide, a orientação é a remoção cirúrgica. A ideia é retirar o excesso para que surja uma nova cicatriz e possa ser tratada e minimizada, para que não cresça e fique grosseira como a antiga.  Só é aconselhado este tipo de procedimento quando a lesão já se formou ou os tratamentos não foram eficazes.
Neste caso, após a remoção cirúrgica é importante prevenir-se. Como orientado neste artigo, a melhor indicação para a prevenção de queloides é a Betaterapia, realizadas em poucos centros especializados, sendo o Centro Oncológico Mogi das Cruzes, uma das referências.
O que achou desse texto? Comente e compartilhe em suas redes sociais.